Palestra promove ações voltadas à inclusão dos estudantes surdos no mundo do trabalho

palestracomunidade-surda-2

 

 

 

Referência de instituição pública de ensino para a comunidade surda, o Colégio Estadual Ruy Barbosa, no bairro de Nazaré, em Salvador, tem sido um importante local de debate sobre temas voltados ao desenvolvimento da cidadania e à valorização social, bem como à formação profissional e ao mundo do trabalho. A palestra “Empregabilidade e Mercado de Trabalho”, realizada por meio de uma parceria entre as empresas Integrar RH e a + Saber com a unidade escolar, contou com a participação dos 24 estudantes com deficiência, na faixa etária de 17 a 30 anos, dos turnos diurno e noturno. A ação fez parte do ciclo de atividades direcionado a esse público que a escola desenvolve durante todo o ano letivo.

A diretora do colégio, Maria Eugênia Ribeiro, fala sobre a experiência de integrar, cada vez mais, os alunos surdos à sociedade e ao mundo do trabalho, tendo como ponto de apoio a Sala de Recursos Multifuncional (SRM) – espaço organizado no interior da escola para ofertar o Atendimento Educacional Especializado (AEE), com a presença de profissionais qualificados e recursos específicos para a oferta do apoio pedagógico ao estudante público-alvo da Educação Especial. “Tem sido um trabalho muito positivo, que conta com a presença dos alunos de forma muito participativa. Na palestra sobre empregabilidade e mercado de trabalho, por exemplo, eles se interessaram muito pelos temas ligados à apresentação pessoal na hora de levar o currículo em uma empresa e à importância da qualificação profissional”.
Nesta atividade, realizada no último dia 14, a administradora de empresas e consultora de RH Claudine Carrilho, sócia da Integrar RH, destacou a necessidade do conhecimento sobre o mercado, ao qual muitos surdos já estão inseridos graças à legislação (Lei 8.213/91, mais conhecida como Lei de Cotas) que estabeleceu a obrigatoriedade de as empresas com 100 ou mais empregados oferecerem uma parcela de suas vagas para pessoas com deficiência. “A partir da pergunta ‘quem é você na fila do pão?’, busquei mostrar a importância de todos estarem atentos às novas necessidades do mercado de trabalho, cada vez mais exigente, e o que a comunidade surda, no caso, pode fazer para se qualificar e se adaptar à realidade atual”.
Educação Especial - A Educação Especial desenvolvida na rede estadual de ensino pela Secretaria da Educação perpassa todos os níveis e modalidades educativas, prestando Atendimento Educacional Especializado (AEE) aos estudantes com necessidades educacionais especiais, por meio de serviços e recursos próprios, cuja utilização por estudantes e professores, nas classes comuns do ensino regular, é feita mediante uma orientação especial.  Alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação são público-alvo da Educação Especial. Eles são atendidos nas escolas da rede estadual da Bahia e nos Centros de Educação Especial, dentro de suas especificidades, para que possam participar ativamente do ensino regular.
palestracomunidade-surda-1 palestracomunidade-surda-3