Secretaria inscreve professores para curso de Educação Científica

feira-de-ciencias-iceia3
A Secretaria da Educação do Estado da Bahia abriu, na terça-feira (7), as inscrições para o curso “Ciência na Escola: Repensando a Prática de Ciência no Ensino Médio”. O curso é voltado para professores do Ensino Médio, cujas escolas aderiram ao projeto Ciência na Escola, da Secretaria da Educação do Estado. O objetivo da formação é fortalecer a Educação Científica na Educação Básica, por meio da promoção de projetos de pesquisa a serem desenvolvidos por estudantes e orientados por professores. As inscrições podem ser realizadas, até 20 de março, pelo Portal da Educação.
As aulas acontecem de 3 de abril a 30 de novembro deste ano. São ofertadas 1.080 vagas em todo o Estado, 40 por Territórios de Identidade. O resultado será divulgado no dia 23 de março, no Portal da Educação. O curso, com carga horária de 80h, será dividido entre aulas presenciais e à distância. As aulas presenciais serão realizadas nas sedes dos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE) e as demais, pelo ambiente virtual do Instituto Anísio Teixeira (IAT). Um dos principais desdobramentos que se espera da formação é a apresentação de projetos de iniciação científica dos estudantes na Feira de Empreendedorismo, Ciência e Inovação da Bahia (FECIBA).
Podem participar docentes com carreira do magistério público do Ensino Médio do Estado da Bahia e que possuem formação acadêmica específica nas áreas de Ciência da Natureza (Física, Química, Biologia e Ciências) e Ciências Humanas (Geografia, História, Sociologia e Filosofia). Além de atuar em alguma escola que aderiu ao Projeto Ciência na Escola, o candidato deve ter disponibilidade para viagens.
A formação visa, ainda, fortalecer os currículos das escolas estaduais por meio da Educação Científica e Empreendedora, Inovações Tecnológicas e a valorização dos docentes, conforme explica a coordenadora geral do Programa Ciência na Escola, Shirley Costa. “Com esta formação, os professores terão os meios necessários para motivar e despertar nos estudantes a curiosidade em identificar e buscar soluções para os problemas de suas comunidades locais”, destaca.